• Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    30 milhões de pobres no mundo ajudados

  • Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    "Eu gostaria de envolver o mundo em uma rede de caridade"

Depoimentos: utilidade da visita domiciliar

Nós publicamos aqui trechos de um documento de formação redigido pela Sociedade São Vicente de Paulo no Brasil.  Os Vicentinos nos dão alguns conselhos, vindo de sua própria experiência de contato pessoal com o pobre, experiência que, como podemos imaginar, é longa e profunda. Este maravilhoso texto mostra bem como as visitas domiciliar – intuição fundadora da Sociedade São Vicente de Paula – continuam pertinentes e de uma grande atualidade para nosso mundo contemporâneo, vitima, como aponta o Cardeal Sarah, da “globalização da indiferença”.

visit dom

Copyright : C.Bressard

"A visita domiciliar é uma experiência única que ninguém aprende ou ensina, a não ser pelo coração aberto e pelo chamado de Deus para viver uma vida com mais amor.

Em cada visita, em cada momento, aprendemos com os Pobres. Temos a chance desse contato íntimo com Deus [...] A visita aos Pobres em seu domicílio é um dos momentos mais importantes na vida do vicentino. Esse momento deve ser uma oportunidade de aprendizado e de troca de experiências, portanto façamos dessa oportunidade um momento de oração. Tenhamos calma, disponibilidade de ouvir e generosidade para entender as dificuldades e limitações que quem recebe a visita.

Não podemos ser invasivos em nossas visitas. Saber respeitar a privacidade dos Pobres seja onde quer que ele esteja vivendo. Não devemos nos confundir com investigadores e querer em bem pouco tempo saber todas as informações da pessoa ou da família. A relação a ser construída necessita de tempo para que, na confiança, os Pobres possam querer partilhar seus problemas, suas limitações seus sonhos com os vicentinos.

Devemos ter sempre o cuidado de não julgar aqueles que ajudamos. Muitas vezes nossos julgamentos podem se basear apenas em nossa realidade, esquecendo que a realidade e condição de cada pessoa é diferente da outra. [...]

Temos em muitos países doenças atacando as camadas mais pobres [...] Ajudar Pobres sofridos pelo efeito das drogas ou sofredoras de doenças incuráveis é um forma de livrá-los de um mal avassalador. Em nossas visitas domiciliares muitas vezes nos deparamos e, porque não dizer, nos desesperamos com essas situações. A miséria, a solidão, as poucas chances já são chagas para esses irmãos e irmãs, e quando sofrem ainda na família com esses males, nossas dificuldades para uma promoção e verdadeira mudança de estrutura em suas vidas é ainda mais complicada. O simples fato de ir até esses sofridos e buscar ser ESPERANÇA para suas vidas sofridas já é uma enorme ajuda. Em muitos casos essas pessoas e famílias são abandonadas pela sociedade e pelo Poder Público. Quando alguém os visita pessoalmente, sem nenhuma cobrança, é a manifestação da presença de Deus para Elas.

Trecho de um documento de formação da Sociedade São Vicente de Paulo no Brasil

> Outros artigos “Depoimentos”:

A vida comovedora do Dr. Paul Takashi Nagaï (1908-1951)

O que há por trás da Sociedade de São Vicente de Paulo?