• Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    30 milhões de pobres no mundo ajudados

  • Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    "Eu gostaria de envolver o mundo em uma rede de caridade"

Voltar à lista

Leitura Espiritual do Domingo 15 de Outubro

09 Outubro 2017 Notícias do CGI

Leitura Espiritual do Domingo 15 de Outubro

Semana de 9 de outubro (referência: leituras do domingo 15 de outubro)

28º Domingo   do Tempo Comum - Leituras: Fl 4,12-14.19-20; Mt 22,1-14

“Tudo posso naquele que me dá força”.

Reflexão vicentina

“Muitos são chamados, e poucos são os escolhidos”

Que frase dura, esta com que termina o Evangelho desta semana, a famosa Parábola das Bodas (somente registrada por Mateus), que, em outras partes fala do peso do castigo do rei para os que não foram à festa, ou não se vestiram adequadamente e não responderam à sua pergunta!

É necessário entender o contexto em que Jesus estava quando contou esta parábola aos sacerdotes, escribas, fariseus e anciãos do povo.  Era a sua última semana de vida na terra, em Jerusalém, momento de conflito contra os líderes religiosos.  Jesus estava falando contra satanás, que se opunha ao plano de seu Pai e os tentava para mata-Lo.

Muito antes de pensar na parte dos “escolhidos”, pensemos na primeira parte: os “chamados”.  Jesus dá todas as chances possíveis para que respondamos ao Seu chamado, à nossa vocação.  Primeiro, convida de maneira direta, mas os convidados decidem não participar.  Depois, manda sinais duros (destruição da cidade, morte dos homicidas), mas, mesmo assim, os convidados não se sensibilizam.  Com isso, chama a todos, toda a periferia, sem critério de escolha e sem serem os “escolhidos”; muitos vêm para a festa.  Finalmente, escolhe um dos convidados (que não estava vestido ou preparado adequadamente para a festa) e o interroga pessoalmente.  Repare que o rei chama este convidado por “amigo”, com todo o carinho.  Mas o homem não respondeu nada, estava preocupado em comer e beber na festa.

Fica claro que quem decide ser “escolhido” somos nós, porque todos somos chamados.  Às vezes somos chamados em público, nas igrejas, na Família Vicentina.  Outras vezes, somos chamados por eventos e catástrofes que afetam a muita gente.  Finalmente, durante a nossa vida, Deus nos chama individualmente, pelo nome, seja com carinho, seja com eventos difíceis, até mesmo com sofrimento.  Cabe a nós decidir se queremos ser o “escolhido”!

Não posso deixar de refletir sobre a belíssima Carta aos Filipenses desta semana, em que Paulo diz a sua célebre frase: “tudo posso naquele que me fortalece”.  Paulo é um exemplo de força mental, espiritual e física.  Era um intelectual, bem preparado para ser líder judeu e abandonou esta liderança para dedicar sua sabedoria a Cristo.  Passou por muitas provações espirituais, começando pelo chamado do caminho a Damasco e sempre “guardou a fé”.  Passou por muitos testes físicos: fome, tempestades, prisões.  Sua força vinha exatamente das dificuldades da vida, porque nelas percebia o sinal de Cristo, que o fortalecia sempre, que o renovava sempre, que o preparava sempre para continuar a missão.

Mas a força de Paulo vinha também de uma outra fonte: ele estava preparado para viver com abundância ou com fome, tanto entre os poderosos, como entre os marginalizados.  Tinha a sabedoria que vem de Deus! 

Que coincidência (ou “teoincidência”) as leituras de hoje, com a nossa vida vicentina!  Primeiro, Deus nos chama de diversas maneiras, em público ou em particular, através de Sua presença no Pobre.  Depois, Ele nos convida a nos sacrificar (muitas vezes, mental, espiritual e fisicamente) por Ele, no serviço ao Pobre e ao irmão na vocação vicentina.  Depois, Ele nos dá a graça de aceder à sabedoria, convivendo tanto com os poderosos (para convertê-los), quanto com os mais pobres.  Finalmente, como resultado de tudo isso, Ele nos fortalece!

Paulo diz que esta força se confirma porque o seu Deus “proverá esplendidamente com sua riqueza a todas as vossas necessidades, em Cristo Jesus”.  Não é somente o Deus de Paulo, não é somente o Cristo Jesus de Paulo: é o nosso Deus, é o nosso Cristo que nos convida e fortalece.  Que bom ser a vocação vicentina a nossa resposta a Deus para que estejamos sempre “vestidos para a festa” e, como consequência, sejamos “escolhidos”!  É desta vocação que vem a força para viver profundamente o plano de Deus para a nossa vida.