• Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    30 milhões de pobres no mundo ajudados

  • Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    "Eu gostaria de envolver o mundo em uma rede de caridade"

Voltar à lista

: Nepal, 2 anos depois do terremoto devastador, a SSVP participa ativamente da reconstrução

12 Maio 2017 Notícias dos Conselhos

:  Nepal, 2 anos depois do terremoto devastador, a SSVP participa ativamente da reconstrução

No dia 26 de abril passado, o Nepal comemorava a lembrança das vítimas dos dois terremotos que dois anos antes riscaram dezenas de cidades do mapa e fizeram o país mergulhar em um clima de luto. Em dois anos, a situação geral dos atingidos melhorou a passos contados : a reconstrução é lenta, freada por obstáculos logísticos : penúria material e de recursos humanos, apagões. A reabilitação das infra-estruturas necessárias para a retomada de atividades, como a rede rodoviária, atrasou e algumas povoações estão ainda cortadas de todo o contato com o resto do mundo.

Um parceria com Caritas

Depois de ter participado ativamente no socorro de emergência logo após a catástrofe, os responsáveis regionais da Sociedade de São Vicente de Paulo rapidamente tomaram a iniciativa de uma parceria com Caritas, a fim de reforçar a eficácia no terreno e de contornar os obstáculos administrativos. Graças a um acordo assinado em junho de 2016, Caritas e a SSVP se associaram em um projeto de reconstrução de casas. Segundo este acordo, a SSVP se engaja com um orçamento de 772 000 $ financiado pela CIAD (Comissão Internacional de Ajuda e de Desenvolvimento), graças às coletas dos vicentinos em favor dos atingidos.

Com o acordo do governo nepalês, Caritas identificou uma zona particularmente afetada pela réplica sísmica do dia 12 de maio de 2015, em termos de perdas humanas e de destruições : no distrito de Dolakha, as comunidades de desenvolvimento de moradores de Orang e Bulung, concentrando-se mais particularmente em cinco bairros mais atingidos. O projeto concerne a 310 famílias que serão assistidas materialmente e financeiramente para a construção de suas casas.

Em cada bairro um comitê de reconstrução foi formado para supervisar o programa. Os beneficiários estão amplamente implicados : eles ajudam a resolver problemas que se colocam no seio da comunidade, identificam quais são as famílias que estão reconstruindo suas casas.

Uma casa-modelo construída segundo as normas anti-sísmicas foi erguida para servir de modelo. Sessões de formação foram organizadas para os pedreiros e os lares recebem a assistência de um técnico de Caritas Nepal que aporta sua experiência nas áreas chave da reconstrução. (escolha do local, planos etc...)

O apoio da Malásia

Paralelamente, a Malásia, que é hermanada com o Nepal, lançou um chamado à solidariedade a fim de juntar fundos, coletar roupas e material destinados aos nepaleses para os proteger do frio esperando a reconstrução das habitações. Uma visita foi organizada a fim de encontrar os vicentinos nepaleses e de melhor avaliar as necessidades. A viagem, supervisada por Elizabeth Loo (Coordenadora Nacional dos hermanamentos para a Malásia) ocorreu em setembro de 2016. O programa de uma semana compreendia uma sessão de formação bem como visitas às famílias em Katmandou, Godavari e Baniyatar, permitindo aos vicentinos de ter um panorama da utilização dos fundos enviados.

Eles também haviam levado em suas bagagens roupas de lã, material de informática e a soma de 13 600 RM (3 100 dólares) proveniente das coletas. Muito rapidamente, os visitantes puderam medir o nível da pobreza e da privação de seus colegas nepaleses, mas também do extraordinário empenho que eles exerciam junto aos outros.  Para Anna Haslam (Conferência Christ the King – Sungai Petanie Malásia) é uma experiência rica de lições : “Se no início nós pensávamos que nós poderíamos ensinar alguma coisa a nossos amigos nepaleses nós compreendemos rapidamente que os papéis eram inversos e que éramos nós que tínhamos mais a aprender com eles. Desde o primeiro dia depois da chegada a Katmandou, tudo foi uma experiência de humildade e de aprendizagem. Nós voltamos mais humildes, com uma maior boa vontade e mais inspiração para servir os menos afortunados” .*

Neste país onde os católicos são minoria (8.000 em uma população de 30 milhões de habitantes) a Sociedade de São Vicente de Paulo conta atualmente com 13 conferências e desenvolve seu serviço junto aos pobres graças ao apoio da Malásia e do trabalho feito em colaboração com outras organizações católicas.

*Ler o depoimento completo (em inglês > http://www.ssvp.org.my/wordpress/mission-trip-to-nepal/