• Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    30 milhões de pobres no mundo ajudados

  • Confederação Internacional

    da Sociedade São Vicente de Paulo

    "Eu gostaria de envolver o mundo em uma rede de caridade"

Voltar à lista

Itália: uma “casa em comum” para acolher os sem-teto

02 Novembro 2016 Projetos Aide et développement

Itália: uma “casa em comum” para acolher os sem-teto

“Uma casa em comum” é um projeto de acolhimento de urgência que se desenvolveu no outono de 2011 no âmbito de uma mesa redonda de ação de luta contra a pobreza das Comunas da Baixa Romanha, na qual muitas associações caritativas participaram, incluindo a Sociedade de São Vicente de Paulo.

Uma casa em comum: um projeto de acolhimento e de inserção

No início do projeto, a União das Comunas colocou à disposição cinco apartamentos todos equipados destinado aos sem-teto, e a gestão cotidiana das primeiras pessoas acolhidas foi confiada à rede de associações locais

Os jovens da conferência de Cassionao participaram do projeto de “uma casa em comum” e reformaram os quartos, repintaram as paredes e mobiliaram as salas.

Cassiano Tabanelli, voluntário vicentino, testemunha de seu engajamento no seio da Sociedade de São Vicente de Paulo desde sua mais tenra idade: “Eu conheci a Sociedade com 16 anos quando eu era estudante no liceu. Nesta época, eu participava das conferências de adultos da minha paróquia. Alguns anos mais tarde, como jovem universitário, eu tive a ocasião de fundar uma conferência de jovens e me tornei em seguida presidente do Conselho Central de Imola que reagrupa a cidade de Lugo e Imola”

Um trabalho em comum : um projeto parceria de diversas associações

No âmbito deste projeto, diversas ações foram implantadas sob o impulso de diferentes associações presentes que mutualizaram e repartiram seus voluntários: os voluntários da Fundação Scalaberni, da SSVP, da Família de Acolhimento e do Centro de Solidariedade organizaram coletas alimentares (vestimentas, alimentos, bicicletas, carrinhos de bebê...), enquanto que os voluntários de outras associações trabalharam no acompanhamento destas pessoas e sua inserção social no seio da comunidade.

Esta iniciativa de parceria permitiu de estabelecer o contato entre as diferentes associações existentes a fim de evitar a duplicação de intervenções.

Segundo Cassionao, este projeto de casa em comum foi positivo “o que é interessante é a responsabilização de jovens voluntários e a cooperação entre as diferentes entidades (associações, cidade, voluntários). O segundo ponto é que graças ao projeto, as pessoas beneficiárias destes alojamentos ganham em autonomia, e são atores de sua integração. É um projeto que cria um vínculo social e que enriqueceu a comunidade”.

Em diversos países do mundo, o alojamento de pessoas em situação de precariedade foi implantado. Este projeto de alojamento é um exemplo de ações que se desenvolvem pelo mundo, em favor das pessoas em situação de precariedade. Mas a vocação da SSVP e de seus voluntários vai mais longe: além da ajuda material imediata, o objetivo é de construir um verdadeiro acompanhamento na duração através da reinserção social das pessoas ajudadas.

Para mais informações sobre o projeto :  http://www.sanvincenzoitalia.it/